|EDITORIAL |DESTAQUE| |CRESCIMENTO
DO CRÉDITO|
|POR DENTRO
DO MERCADO|
|CRIVO NA MÍDIA| |INDICADORES|


DESTAQUE

CRIVO APOSTA NA PRECISÃO PARA DESENVOLVER ESTUDOS DE ESTIMATIVA DE RENDA

Modelos de renda presumida ajudam companhias a ganhar qualidade na concessão de crédito

A Crivo está investindo continuamente em pesquisa para oferecer modelos estatísticos de estimativa de renda, que possibilitam a melhor adequação do crédito a capacidade financeira de seus clientes. Para isso, criou uma nova dinâmica de desenvolvimento de modelos que, além de customizados por clientes, verificam novas e diferentes variáveis, comparado com o que é oferecido hoje no mercado.

Os modelos de renda presumida definem a renda média de um cliente pelo grupo de consumo no qual está inserido. O agrupamento, normalmente, é feito a partir de dados fornecidos pelos clientes na ficha cadastral e considera aspectos-padrão como profissão, faixa etária, sexo e região onde o consumidor reside. Com uma proposta vanguardista, a Crivo passou a adicionar nos modelos desenvolvidos por seu time de estatísticos e matemáticos outras informações sobre o consumidor, resultando em estimativas de renda mais precisas.

Entre as informações agregadas aos estudos da Crivo estão a declaração e restituição de imposto de renda. Esta consulta é possibilitada pelo software de decisão da empresa (o Crivo) que consulta centenas de fontes de informação disponíveis na internet, entre elas, a Receita Federal.

“Se o cliente pagou imposto de renda significa que ganha ao menos 14 mil reais no ano. E se teve restituição, o site informa em que agência o dinheiro foi depositado, indicador que também auxilia na classificação da renda por meio da avaliação do perfil da agência, se é de alta ou baixa renda”, afirma o estatístico Emiliano Médice Valério, coordenador da área de inteligência preditiva da Crivo.

Além de personalizados por cliente, de acordo com seu campo de atuação e cultura de crédito, os estudos de renda presumida da Crivo consideram características bem pontuais. As diferentes faixas de renda populacional de um determinado bairro, por exemplo, podem resultar em uma definição de limite de crédito inadequada, caso as particularidades não sejam consideradas.

“Num bairro como o Morumbi, onde há pessoas de altíssima,  média e baixa renda, e lojas mais populares com outras bastante elitizadas, um estudo de renda presumida que não leve em consideração essas diferenças de público seria ineficiente”, aponta Valério.

Bancos, financeiras, incluindo as pertencentes a redes de varejo, emissoras de cartão de crédito, seguradoras e operadoras de telefonia são alguns dos principais setores usuários de modelos de renda presumida.

Embora esses estudos sejam utilizados basicamente para  verificar a capacidade financeira e de pagamento do consumidor, as aplicações por segmento variam.. No setor de cartão de crédito, modelos de renda presumida são utilizados para atribuição de limite, nas operadoras de telefonia para adequar o plano a capacidade financeira do cliente e nos bancos, além de atribuir limites, para checar a veracidade da renda e de outros dados informados pelo cliente no cadastro.

“No fundo, tudo se resume a checagem de dados e capacidade financeira do cliente, mas é importante ressaltar que um modelo de renda presumida assertivo pode impactar diretamente nos resultados financeiros de uma organização”, finaliza Valério.

Empenhada em oferecer estudos mais precisos e customizados, a Crivo avalia informações encontradas em fontes externas tarifadas e gratuitas e até mesmo informações que, normalmente, não são observadas, como estado civil e escolaridade.

 


voltar para home
www.crivo.com.br | fale conosco | assine nossa news